sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Cerveja Santa Fé e Bauhaus Cobre - Brasil


     Boa noite amigos, com o mercado de cervejas artesanais aquecido, os lançamentos de cervejas especiais são cada vez mais frequentes. Neste post, veremos o lançamento das cervejas Santa Fé e Bahaus Cobre que ainda não provei, mas espero provar, para poder contar-lhes se as cervas realmente são que dizem ou não!

Santa Fé e Bauhaus Cobre: por um estilo brasileiro de fazer cerveja
Cervejaria Premium apresenta receitas que adaptam tradicionais estilos ao gosto do brasileiro



     Com o crescimento do mercado nacional de cervejas especiais, ganha força a pesquisa por estilos que tenham a cara do Brasil. Dentro dessa busca, a Cervejaria Premium apresenta duas Lagers com personalidades distintas e paladar bem brasileiro: a inédita puro malte Santa Fé e a extra puro malte Bauhaus Cobre, esta, uma reedição da Bauhaus lançada em 2008. Produzidas sem adjuntos, as receitas combinam lúpulos e maltes importados e fermentos exclusivos com a água levíssima e de alta potabilidade, que abastece a fábrica na cidade mineira de Frutal. A ocasião pedia um visual novo à altura e  ambos os rótulos foram criados pelo designer americano Randy Mosher, célebre por seus livros sobre produção cervejeira e responsável pela criação da identidade visual  e de cervejas especiais em  diversas micro cervejarias daquele país, principalmente na região da cidade de Chicago, Illinois.

Elaborada com dois tipos de maltes, a Santa Fé se destaca pelo paladar suave e altamente refrescante. O segredo é a ausência de lúpulos de amargor, o que confere à bebida um final leve e com agradável sabor. Os lúpulos utilizados são aromáticos e resultam em notas herbais e florais. “Nós queríamos adaptar os estilos clássicos ao clima tropical e, por isso, criamos a Santa Fé pensando no que seria uma brazilian lager, ou seja, uma cerveja especial leve, mas com presença. A ideia é atender ao público que procura uma cerveja de qualidade e para ser consumida nas diversas ocasiões merecedora deste tipo de produto”, comenta Ricardo Castilho, gerente comercial da Cervejaria Premium. Em conversas do grupo com Randy Mosher, que ao provar uma amostra se lembrou das cervejas do início do século passado, apesar de seu amargor atenuado, nasce para a cerveja, o nome de Santa Fé, inspirada na capital do estado americano de Novo México, um dos símbolos da ocupação do Velho Oeste. O rótulo traz elementos clássicos desse período e a data de 1901, muito retratada em locomotivas e placas de filmes de faroeste.

Já na repaginação da Bauhaus, Mosher se inspirou na coloração dourada acobreada da cerveja para elaborar a nova identidade visual.  Renomeada de Bauhaus Cobre, ela é a única lager extra puro malte nacional pois, além de não levar aditivos, é elaborada com uma alta carga de diversos maltes. A receita original alemã foi adaptada pelo mestre-cervejeiro Fábio Roosen Runge Villela, que usou dois tipos de lúpulo originários  da Baviera para ajustar o amargor a um nível suave e instigante. Já o fermento da receita foi desenvolvido na Weihenstephan – o maior e mais antigo centro cervejeiro de Munique – e a maturação da bebida leva 40 dias, tempo similar usado pelas mais tradicionais cervejarias checas. O resultado é uma cerveja de paladar encorpado, levemente mais alcoólica, com aromas florais, cítricos e de caramelo. “A Bauhaus Cobre já é direcionada para quem gosta de uma cerveja um pouco mais amarga, com um corpo mais denso. Por essas características, este rótulo com um potencial gastronômico maior”, explica Cristiano Alves, gestor do grupo para cervejas especiais, que indica a harmonização com pescados e frutos do mar, além de pratos ácidos, condimentados ou picantes.


Sobre a Cervejaria Premium:
A Cervejaria Premium foi inaugurada em 2005 na cidade de Frutal, no Triângulo Mineiro, região privilegiada pela água da maior reserva natural do mundo, o Aquífero Guarani. A fábrica conta com uma estrutura de produção moderna e totalmente automatizada. Marcas como as alemãs Krones e Steinecker, a Suíça Filtrox e a brasileira Dedini garantem a tecnologia de última geração empregada nos setores de produção e envase.


Dados técnicos:
Santa Fé
Teor alcoólico: 4,7%
Cerveja de baixa fermentação, de cor amarelo-dourado, corpo e amargor médios, e levemente adocicada. Aromas maltados, herbais e florais.
Embalagens: 600ml; lata (473ml); e long neck (330ml)









Bauhaus Cobre
Teor alcoólico: 5,1%
Cerveja de baixa fermentação, de cor dourado-acobreado, espuma densa e persistente e corpo médio-alto. Aromas florais, cítricos e de caramelo.
Embalagens: 600ml; lata (473ml); e long neck (330ml)






Por hoje é isso, e até mais !!!


3 comentários:

  1. De que está me resolvendo ter um amigo que entende tanto de cerveja se eu sempre fico naquela entre Brahma e Boêmia?

    Já está na hora de rolar aquela tão prometida degustação neh Rafa!

    ResponderExcluir
  2. Se eu passar no mestrado neste findi, podemos fazer no domingo !!!!! prometo !

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...